quarta-feira, 21 de agosto de 2013




separadamente
uma aqui           outra ali
duas árvores mortas
em pé
com o tronco esburacado     com a ajuda de um pássaro
 
no chão corre uma planta que se ergue na árvore morta
e nos restos dos braços da árvore
a planta iça as suas hastes longas
e tenta chegar à outra
dança
balança
e cresce    e quase   se lança

o vento sopra e a haste enrola-se
no galho mais fino que sobra na ponta daquele ramo
 
agora a planta veste a saia que aperta
à outra árvore que ali se mantém
 
duas árvores mortas
ali à espera do pica-pau que as livre das larvas
e lhes borde o tronco com rendas ocas que decoram a saia
 
Inez Andrade Paes

Sem comentários:

Publicar um comentário