terça-feira, 6 de agosto de 2013

A QUALQUER UM COM OLHOS ASSIM

 
teus olhos verdes
guardam jóias
que só brilham quando o sol lhes bate
 
assim sorria ela com seus olhos verdes
e se eu olhava     ela olhava para os sapatos
pretos                  daqueles duros de verniz

teus olhos verdes
guardam todos os segredos que eu não quis
e apertei no peito
até quase sem ar e sem respeito atirar-tos ao peito
como alfinete decorado de rubis
 
teus olhos verdes fecham-se quando sorris
e o brilho da madrugada nessas jóias lembra-me que hoje
a tua gargalhada ecoa perto de mim

atira-me essas jóias em lágrimas
guardá-las-ei no jardim perto daquele ninho de chapim

Inez Andrade Paes

Sem comentários:

Publicar um comentário