quarta-feira, 4 de novembro de 2015


POEMA 20

quando a garganta seca
na palavra áspera
dita com certeza
por um momento claro

envolvo o corpo em concha
e medito
no espaço
entre a palavra dita
e a ferida aberta

com a garganta seca
e a boca fechada

Inez Andrade Paes in Paredes Abertas ao Céu, p.67 - 2010 edição de autor 

Sem comentários:

Publicar um comentário