segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

ÀS ESCADARIAS DE PEMBA


esse passo lento com que sobes as escadas
em cada passo
no que de curto o olhar é pensamento
distante  raro mas de beleza constante
em que a particularidade do sonho
é desembainhado
quando o moscardo passa

no calor da subida em que cada degrau é um fardo
em cada passo uma memória
e a mulher na descida faz chegar ao rosto suado
vento breve mas certeiro

de que pedras raras são
esses degraus largos e compridos
de que pedras raras são

olha para trás
vê a buganvília
ainda te recebe na descida

Inez Andrade Paes in Da Estrada Vermelha - p.43, 2015

Sem comentários:

Publicar um comentário