sábado, 11 de fevereiro de 2012

Poema


gemes torces-te
no frémito insaciável
da comunidade que te consola

leva o lenço ao nariz que pinga
sangue que escorre
pelo punho cerrado

carrasco de ti levanta
e entrega a ira ao homem
que tens ao lado

daqui nada levarás
senão luz
que do céu chega dos nossos
e mantém esta chama
que me acalma

Inez Andrade Paes

Sem comentários:

Publicar um comentário