quarta-feira, 24 de março de 2010

POEMA



sabes quando choras
e o silêncio está dentro sem lágrimas ?

sabes quando morrem as árvores
e não podes fazer nada
e não tens posse de vida porque ela não te foi dada?

a não ser que as sabias ali e as vias de mãos sempre dadas

sou agora assim como mutilada
de uma assombração inúmera desagregada à volta do pescoço
com duas mãos apertadas

sabes quando choras
entre um pecado
uma fúria de raiva que não era precisa porque o tempo
que estava
não o vias
passava sem o teres de perto

sou agora assim
presa com os nós dos dedos
ao chão
onde tuas astes e braços tombaram

sabes
?
leva-me agora
não olho pro céu
fico calada

Inez Andrade Paes

Sem comentários:

Enviar um comentário